Paraíba

A Terra de Cavalheiros

Diretor: Gilbert de Witt

Capital: Frederick Stadt (cerca de 1,500 habitantes) – ver figuras importantes

Número de Engenhos: 20 (1.903 tarefas) – ver pontos de interesse e freguesias e engenhos

As terras da Paraíba foram uma conquista extremamente difícil para a Coroa Ibérica. Eram terras pertencentes à capitania de Itamaracá, cujo capitão-mor de Pernambuco Lourenço da Veiga tentara explorar anos antes, mas foi massacrado pelos índios locais. Em seguida, as terras foram desmembradas de Itamaracá para favorecer Frutuoso Gomes, que poderia explorá-la num prazo de até dez anos. Ele bem que tentou, mas foi um fracasso. Os índios tabajaras e potiguares da região mataram muitos dos seus homens, incluindo seu próprio filho, expulsando-o de volta à Pernambuco.

Frutuoso Gomes não se deu por vencido. Por ocasião de uma grande armada a caminho do Reino Ibérico, desembarcou outra vez no Rio Paraíba. Ele ergueu uma fortaleza e um povoado com o auxílio das armas ibéricas, no entanto, quando a armada seguiu caminho, ele se viu novamente cercado pelo inimigo. Mesmo com o socorro do capitão-mor de Itamaracá, Pero Lopes, foi preciso a vinda de um grande exército pernambucano para salvar sua colônia sitiada.

Nem mesmo este grande exército pernambucano, liderado pelo ouvidor-mor Martim Leitão, conseguiu resolver o problema. Os ataques indígenas acabaram por fazer o próprio Frutuoso Gomes desistir da conquista e o capitão da recém-erguida fortaleza abandonar suas funções. O sucesso só foi alcançado quando os próprios nativos entraram em guerra entre si. O líder tabajara Pirajibe propôs uma aliança com o novo capitão-mor designado, João Tavares, para que lhe ajudasse a guerrear contra os potiguares. João Tavares aceitou. No fim, os potiguares foram expulsos da Paraíba e os tabajaras ajudaram a erguer a cidade de Filipéia.

Governo Atual

Nos primeiros dois anos de guerra em Pernambuco, os holandeses sofreram um grande aperto das forças ibéricas lideradas por Matias de Albuquerque. Eles então resolveram fazer uma ousada aposta. Incendiaram a vila de Olinda, retraíram suas forças para o porto do Recife e enviaram tudo o que podiam contra a Paraíba. O plano fracassou enormemente. Eles foram derrotados em combate. A vitória holandesa só viria ocorrer mais três anos depois, por auxílio do mestiço Domingos Calabar.

Embalados pela vitória no Rio Grande, os holandeses sitiaram a Paraíba por quinze dias até a queda do último dos seus fortes. A cidade de Filipéia foi então renomeada de Frederickstadt e o conselheiro Servaas Carpentier foi designado seu primeiro diretor. Ele encontrou uma terra fértil com ricos engenhos de açúcar e um povo mais aberto a chegada dos holandeses. O próprio Carpentier chegou a adquirir vários engenhos em seu nome até repassar o governo da capitania para o seu sucessor.

Logo, os holandeses perceberam que os paraibanos não eram tão hospitaleiros quanto se imaginava. O capitão Rebelinho, remanescente da falida resistência de Matias de Albuquerque, realizou uma emboscada que assassinou o novo diretor Ippo Eysens. Felizmente, os três anos seguintes sob o comando de Elias Herckmans foram mais tranquilos. Agora, é esperada a chegado do quartodiretor holandês da capitania: Gilbert de Witt. Mais afeitos à economia que a guerra, desejam continuar seu próspero crescimento.

 

Figuras Importantes

 

Gilbert de Witt

Este é um jovem e proficiente holandês de apenas vinte e nove anos de idade, formado em Direito pela universidade de Leiden. Ele chegou nas terras brasileiras há dois anos com o cargo de conselheiro político. Depois, assumiu o governo do Alagoas e das terras fronteiriças no Rio São Francisco.

Atualmente, acabou de assumir como diretor da Paraíba. Ele não era a primeira opção para o cargo, que deveria ter sido de Sebastien van Hoogeveen. Infelizmente, este caiu vítima de uma enfermidade febril que lhe tirou a força dos braços e lhe causou a morte. No entanto, os paraibanos estão felizes com a nova nomeação por saberem que Gilbert de Witt é um homem culto, justo e apaixonado pelas terras do Novo Mundo. Dizem que está à procura de uma mulher da terra para se casar.

 

Elias Herckmans

Poucas pessoas conhecem a Paraíba tão bem quanto este homem. Ele governou a capitania por três anos, desde que seu antecessor, Ippo Eysens, foi assassinado pelas forças do capitão Francisco Rebelo, o Rebelinho.

Enfim, Hercksmans transfere a responsabilidade para um novo diretor, não sem antes escrever um dos mais detalhados relatórios sobre esta capitania. Em seguida, deverá partir de volta à Holanda, onde será incumbido de liderar uma expedição ao Chile. No entanto, seu coração sempre estará neste lado do continente, pois tem a certeza que um dia retornará.

 

Dominus Cornelius van der Poel

A igreja protestante reformada esperava aumentar o número de fiéis com a vinda de onze pregadores ao Novo Mundo. Desses pregadores, o dominus Cornelius van der Poel foi designado às terras da Paraíba junto com o proponente Jan Michielsen.

Infelizmente, mesmo numa terra com habitantes mais hospitaleiros e abertos ao governo holandês, ainda se encontra muita resistência à igreja reformada entre os portugueses. No entanto o dominus Cornelius van der Poel está disposta a vencer essa barreira. Pretende vencer os preconceitos que os padres católicos colocaram na população local.

 

Dominus Samuel Baltselaer

Enquanto o dominus Cornelius van der Poel deseja expandir a religião protestante no Novo Mundo, este outro dominus não possui as mesmas pretensões. O dominus Samuel Baltselaer é natural da língua inglesa, mas aprendeu bem o holandês.

Por esta razão, esse dominus realiza suas pregações nas fortalezas paraibanas, entre os soldados holandeses. Ele tem sido uma importante fonte de inspirações para elevar o moral dos exércitos e confortar os conflituosos.

 

Duarte Gomes da Silveira

O senhor de engenho Duarte Gomes da Silveira foi um dos primeiros da capitania a passar para o lado dos holandeses. Com o avanço holandês, o então governador Antônio de Albuquerque Maranhão teve que abandonar sua posição e fugir com parte da população. No caminho, ele assentou os soldados e refugiados nos currais e campos do engenho de Duarte Gomes, mas nunca poderia imaginar que este senhor já havia traído o governo ibérico.

Duarte Gomes da Silveira entregou a posição do governador Albuquerque Maranhão aos holandeses, que imediatamente atacaram sua posição. Não capturaram o governador por muito pouco, que pressentindo a traição, deixou o engenho quinze minutos antes da chegada dos exércitos holandeses. Depois desses eventos, Duarte Gomes da Silveira ganhou a confiança dos invasores e recebeu o passaporte holandês. Hoje, mantém sua excelente produção de açúcar no seu próspero engenho chamado de São Salvador.

 

Pedro Poti

Durante a primeira invasão holandesa que ocorreu na Bahia de Todos os Santos há quinze anos atrás, os holandeses enviaram suas embarcações para uma praia chamada Baía da Traição, que fica na fronteira entre a Paraíba e o Rio Grande. Os holandeses fizeram uma aliança com os índios potiguares locais e realizaram vários assaltos contra os moradores ibéricos. No fim, quando foram expulsos da Bahia de Todos os Santos, os holandeses também abandonaram a Baía da Traição, mas não foram embora sozinhos. Eles levaram consigo alguns índios para a Europa.

O índio Pedro Poti residiu por cerca de sete anos nas Províncias Unidas da Holanda para aprender o idioma, cultura e a religião. Enfim, com a nova invasão em Pernambuco, retornou para o Novo Mundo com a ordem de trazer os índios para o lado holandês. Ele fez frente à sua contraparte ibérica chamada Felipe Camarão, também seu primo, por mais de oito anos de guerra, numa disputa ideológica que se mantém até os dias atuais.

 

Pirajibe

Este líder indígena está a frente da tribo dos índios Tabajaras da Paraíba há mais de quarenta anos. Ele firmou o pacto entre sua tribo e os governantes paraibanos para enfim a cidade de Filipéia ser fundada. Ele também lutou ao lado do líder Jerônimo de Albuquerque contra os franceses do Maranhão. Depois, combateu os holandeses ao lado do capitão Matos até a rendição do forte Cabedelo.

Hoje, é um ancião que mal consegue se levantar. No entanto, o velho líder diz que, se as forças portuguesas retomarem as armas para combater o inimigo holandês, ele erguerá sua lança e seu escudo outra vez.

 

Rebelinho

Francisco Rebelo é um soldado exemplar e de extrema bravura. Ele defendeu a capitania da Paraíba, local onde nasceu, com coragem sem igual. E assim tornou-se um mestre na arte do combate de guerrilha com a tática atacar e recuar. Sempre escondido ao lado do seu grupo de tão corajosos heróis.

Dessa forma, ele tem se tornado uma grande dor de cabeça aos holandeses que dominam hoje dominam a Paraíba. Em especial ao líder Ippo Eysassem, comandante das tropas invasoras na região. O seu grupo está escondido no Engenho do seu bom amigo capitão Correa. Mas, com as tropas inimigas aproximando do local, o confronto direto é inevitável.

 

André Vidal

André Vidal de Negreiros é um paraibano que lutou na primeira invasão holandesa em São Salvador. Na época, ele tinha apenas dezoito anos de idade. Após a expulsão dos holandesas da capital de nossa pátria, ele então partiu para o Velho Mundo para iniciar seus estudos na metrópole.

André Vidal ainda está no Velho Mundo continuando seus estudos. Mas, com a recente ataque holandês em Pernambuco, tem se preparado para retornar. Mas apenas o fará quando convencer o rei Filipe de enviar uma grande força libertadora como aquela que derrotou os holandeses em São Salvador anos atrás.

 

Pontos de Interesse

 

Frederick Stadt

A principal cidade da Paraíba recebera seu nome em homenagem ao Rei Felipe da Espanha, que por séculos escravizou as dezessete províncias da Holanda. Logo que conquistaram essas terras, resolveram renomear o local. A cidade recebeu o nome do soberano das terras Holandeses como forma de afrontar seu inimigo. É uma cidade circundada por mata fechada, que não pode ser vista até se encontrar dentro dela. 1, 11

 

Forte Margareta

Antes chamado de Forte Santa Catarina do Cabedelo, esta fortificação está localizada na margem sul da barra do rio Paraíba. É uma obra bonita e forte, com um fosso profundo. Tem fortes estacadas em torno da berma e uma boa contra-escarpa do lado externo do fosso. Está sob o comando dos capitães Ernest van Bremen e Robert Aarios. 10

Guarnição: 160 soldados.

Artilharia: 14 de bronze e 42 de Ferro.

 

Forte da Restinga

É uma fortificação pequena e quadrada como um reduto, que está localizada um pouco mais adiante da barra, numa ilhazinha. Possui meio-baluartes elevados e uma paliçada em volta. Como a entrada da barra só é possível na maré alta, tem uma grande importância estratégica. Está atualmente sob o comando do capitão Schieff. 10

Guarnição: 138 homens.

Artilharia: 4 de Bronze e 3 de Ferro.

 

Forte Santo Antônio

Está localizado na margem norte do rio Paraíba, onde fica batido do mar. Chegou a ser demolido por ordem do governador Mauritz van Nassau, sendo reconstruído logo em seguida dando-lhe um âmbito menor. Está atualmente sob o comando do capitão Waldeeck.10

Guarnição: 62 homens.

Artilharia: 3 de Ferro.

 

Convento Franciscano

Antes era um mosteiro religioso, mas foi confiscado quando se descobriu que seu guardião, frei Manuel de Santa Maria, mantinha contato com o capitão-mor Matias de Albuquerque. Sob o poder dos holandeses, o local foi cercado com um muro quadrangular, tendo em cada face uma meia-lua ou revelim. Possui um fosso profundo em volta, embora estreito e seco, assim como uma estacada do lado interno da muralha. Hoje, é a mais importante fortificação no interior de Frederickstadt, cujas forças são lideradas pelo capitão den Bout. É neste local também que reside o diretor Gilbert de Witt.10,11

Guarnição: 101 soldados

Artilharia: 2 de Bronze e 5 de Ferro

 

Câmara dos Escabinos

Em todas as capitanias conquistadas, a política holandesa estimula a criação de câmaras políticas com representantes do povo. Geralmente, formadas por dois “escabinos” que tem interlocução direta com os líderes holandeses e quatro representantes do povo. Atualmente, esses cargos são exercidos nesta capitania pelos seguintes integrantes.9

Manuel de Azevedo (Escabino)

Francisco Gomes Muniz (Escabino)

Antônio Pinto de Mendonça

Duarte Gomes da Silveira

Manuel de Almeida

Manuel de Queiroz Siqueira

 

Praça Principal

Está localizada no centro da cidade, um pouco mais ao sul, tendo ao seu redor a casa da Câmara dos Escabinos, o Mercado da cidade e o Pelourinho, onde é feita a justiça aos escravos desobedientes.11

 

Convento Carmelita

É um convento ainda não totalmente acabado por ter começado sua construção recentemente. Ela possui vários frades da ordem de Carmo que exercem sua visão espiritual contemplativa baseada no fervor das orações.

 

Convento de São Bento

É um convento ainda não totalmente acabado por ter começado sua construção recentemente. Ela possui vários frades da ordem de São Bento que enaltecem a vida em clausura para total dedicação a Deus. 11

 

Igreja Matriz Abandonada

Esta deveria ser a maior e melhor igreja de Frederick Stadt. Era uma obra que prometia ser grandiosa. Infelizmente, a guerra impossibilitou que a obra fosse terminada pelos portugueses e agora ela se arruína cada dia mais em razão do seu abandono. 11

 

Igreja de Misericórdia

Esta é uma igreja construída às custas do senhor de engenho Duarte Gomes da Silveira. Ainda não está totalmente acabada, mas sem previsão para a conclusão da Igreja Matriz é nela que ocorrem as cerimonias religiosas da cidade. 11

 

Capela de São Gonçalo

Também chamada de Igrejinha, esta é uma pequena capela no limite extremo a oeste da cidade. Muitos são os habitantes da região que oram neste singelo local. 11

 

Forca da cidade

Está localizada próxima da capela de São Gonçalo, a uma distância de um tiro de mosquete. É nela que seus cidadãos fazem a justiça. 11

 

Baía do Estaleiro

O rio Paraíba é bem largo, com margens bem rasas e formadas por mangues. E certo ponto, o rio abre uma baía para o oeste que é bem apropriada para se pôr a seco os navios e calafetá-los. A madeira dos mangues também é forte e boa, se tornando escura quando seca, de forma que é muito boa para utilizar no conserto de navios. Por estes motivos, esta baía a oeste é conhecida por todos como Estaleiro.11

 

Armazéns do Varadouro

Esta é uma pequena baía às margens rio Paraíba com cerca de meia milha de comprimento, onde há um reduto de pedra. Está localizada bem próxima da cidade de Frederick Stadt. Os armazéns do local, que haviam sido incendiados durante a conquista da Paraíba, foram reconstruídos. É neste local que os navios mercantes descarregam e embarcam as cargas de açúcar produzidos na capitania. 11

 

 

Freguesias e Engenhos

 

Engenho das Barreiras

É um bom engenho de água que possui moenda. Pertence à Josias Marischal. Produção: 75 tarefas (Lavradores: o proprietário, os frades de São Bento e Francisco de Sousa). 10,11

 

Engenho Tiberi-Santa

É um bom engenho de água que possui moenda. Pertence a Jorge Homem Pinto. Produção: 105 tarefas (Lavradores: Francisco Lopes Carvalho, João Barbosa de Mesquita, Manuel de Almeida e Pero Fernandes Sarzedas). 10,11

           

Engenho Tiberi-Santiago

É um bom engenho de água, mas não possui moenda. Pertence a Jorge homem Pinto. Produção: 147 tarefas (Lavradores: Elias Herckmans, Antônio Canto, Baltasar Fernandes, Pero Carvalho, Francisco Vaz e João Tavares de Matos). 10,11

 

Engenho Santo André

É um bom engenho de água que possui moenda. Pertence a Jorge Homem Pinto. Produção: 140 tarefas (Lavradores: Manuel Queiroz de Siqueira, Manuel Rodrigues da Costa e o padre Manuel Paes). 10,11

 

Engenho de Jerônimo Cadena

É um bom engenho de água que possui moenda. Pertence ao senhor Jerônimo Cadena. Produção: 157 tarefas (Lavradores: o proprietário, Antônio Fernandes, João Tavares Cabinelo, Domingos Pires, Jacques van der Nesse e Pero Fernandes Sarzedas). 10,11

 

Engenho Três Reis

É um bom engenho de água que possui moenda. Pertence a Francisco Camelo de Valcacér. Produção: 123 tarefas (Lavradores: Ambrósio Vieira, Domingos Barreiros, Domingos Valcacér de Morais e Luís Mendes). 10,11

 

Engenho Espírito Santo

É um bom engenho de água que possui moenda. Pertence a Menso Fransen. Produção: 123 tarefas (Lavradores: Francisco Gomes de Oliveira, Manuel de Almeida e Mateus Fernandes). 10,11

 

Engenho Dusse

Antes chamado Santo Antônio, é um bom engenho de bois que possui moenda. Pertence a Jan Cornelisz Jongeneel. Produção: 165 tarefas (Lavradores: o proprietário, Francisco Pinto, Pedro Fagundes e Mateus Fernandes). 10,11

 

Engenho Santo Antônio de Itaporã

É um bom engenho de água que possui moenda. Pertence a Antônio Correia de Valadares. Produção: 119 tarefas (Lavradores: Manuel Vaz Varasas, Belchior Fra. Fagundes, Gonçalo da Rocha e Antônio Magalhães). 10,11

 

Engenho Santa Luzia

É um bom engenho de bois que possui moenda. Pertence a João do Souto. Produção: 90 tarefas (Lavradores: o proprietário, João Morais de Valcaçar, Bento, Manuel Pina). 10,11

 

Engenho Nossa Senhora de Guadalupe

É um bom engenho de água que possui moenda. Pertence a Manuel Correia Pestana. Produção: Não descrito. 11

 

Engenho Santiago Maior

É um bom engenho de bois que possui moenda. Pertence a André Dias de Figueiredo. Produção: 58 tarefas (Lavradores: Francisco Lopes de Abreu, Lourenço Siqueira, Domingos de Abreu, Antônio da Rocha, Domingos Leitão e Cosmo Afonso Pinheiro). 10,11

 

Engenho São Francisco

É um bom engenho de bois que possui moenda. Pertence a Ventura Mendes Castelo. Produção: 118 tarefas (Lavradores: Manuel Tavares e Geraldo Mende, Manuel Filgueira, Francisco Gonçalves e Manuel Barreiros). 10,11

 

Engenho São Gonçalo

É um bom engenho de bois que possui moenda. Pertence a Antônio Pinto Medanha. Produção: 260 tarefas (Lavradores: o proprietário, Jorge Rodrigues Pinto, Bento Rodrigues, Matias Ferreira, Miguel Gomes, Jorge Rodrigues Pinto). 10,11

 

Engenho Inhobi Amstel

Também chamado de Santo Cosme-Damião, é um bom engenho de bois que possui moenda. Pertence a Isaac de Rasière. Produção: Não descrito. 11

 

Engenho São Salvador

É um bom engenho de água que possui moenda. Pertence a Duarte Gomes da Silveira. Produção: 113 tarefas (Lavradores: Diogo Mendes van der Nesse, Sebastião Machado, Domingos Velasques, Paula de Almeida e Bartolomeu Góis). 10,11

 

Engenho Gorgaú

É um bom engenho de água que possui moenda. Pertence a Isaac de Rasière. Produção: 60 tarefas (Lavradores: Gonçalo Nero). 10,11

 

Engenho Camaratuba

É um bom engenho de água que possui moenda. Pertence a Antônio Carvalho. Produção: 50 tarefas (Lavradores: o proprietário apenas). 10, 11

 

Engenho Mereri

É um engenho que está totalmente arruinado. Pertenceu a Francisco álvares da Silva. Produção: Nenhuma. 10,11

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: